25.9.10

quando não sou

quando não sou, encontram-me as palavras.
uma por uma, apresentam-se, cintilantes.

ababeladas, seu conjunto me traduz:
volúvel, dura, frágil, colorida, instável,
plana, dócil, áspera, maleável, envergada,
adorável, inodora, inenarrável, porosa, 
intragável, líquida, adaptável, 
lenhosa, papável, mutável ...

e quando se vão, em revoada,
eu sou novamente, adjetivada em mim ...


(Curiosa)

2 comentários:

Dani *-* disse...

Adoro seus poemas, suas escritas, suas palavras... parabéns!
Bjss querida *-*

Curiosa disse...

Dani ...
gratíssima!
fico lisonjeada, ruborizada, envaidecida .................... feliz .. sim FELIZ por me sentir acompanhada ...(quem não pensa só, nunca ficará só!)

beijos queridos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...