26.12.11

a Escrevente recebe críticas sobre uma postagem do seu blog

recebi críticas sobre minha postagem que fala das relações virtuais ...
(leia a postagem aqui)
e refleti a respeito do assunto, obviamente ...
então deixo mais algumas linhas sobre o tema, sempre considerando
que este tipo de análise não se esgota nessas poucas linhas ...
..
na blogosfera para adultos, disseram-me, as pessoas revelam primeiro
o corpo e não as palavras, contrário do que eu disse em meu texto ...
o que eu penso disso, perguntaram-me ...

bem ... antes de revelar o corpo, a pessoa pensa em como e porquê fazê-lo,
disto tenho certeza ... logo, há uma reflexão prévia à exibição ...
e a exibição, geralmente, vem acompanhada das palavras, do porquê ...
na maioria dos espaços virtuais de pessoas que revelam
suas experiências sexuais (mostrando o corpo) há uma justificativa filosófica
de vida para tal, centralmente exposta, onde os parceiros sexuais refletem sobre
sua prática afetivo-sexual e a necessidade de se libertar de valores
que oprimem e impedem relacionamentos saudáveis ...

...

disseram-me que 'mostrar o melhor de nós' ao outro significa,
quase sempre, mentir ou omitir ... não sei ...
há muita simulação nas relações virtuais, sim ...
mas vejo isso como um aspecto, até certo ponto, saudável ...

como eu disse na postagem citada,

'nós escolhemos o que apresentar ao outro
em nossos perfis, e revelamos o nosso melhor ...
ou nosso pior, como nos espaços virtuais que cultuam preconceito,
homofobia e assim por diante ...'

mas lembremos que só conseguimos simular aquilo que conhecemos,
ou seja, um aspecto de nós mesmos ...

e se nos mostramos virtualmente melhor do que somos na vida 'real',
é porque podemos ser melhores na vida 'real' ...
simular abre brechas de possibilidades em nosso imaginário,
criando caminhos para a transformação do que seja considerado 'real' no sujeito ...

...

bem ... a tecnologia está aí, estamos já nos relacionando de forma diferente,
através da sua mediação ... não podemos fugir de considerar este um
aspecto importante no futuro da humanidade ...
as reflexões estão abertas ... quem se candidata?


20.12.11

porque a Escrevente se encoleriza

UM EPIGRAMA PARA DUAS LÁPIDES ABANDONADAS

ela queria antes de tudo sexo
quando seus homens escolhia
simples e carnal sexo
nada de mais abstrato lhe apetecia

e sob mal interpretado querer
a trama de uma vida se desenrola
duas vezes viúva a senhora
ainda sem gozar sua cona

(Curiosa)

..

10.12.11

porque a Escrevente reflete sobre relacionamentos virtuais


as amizades virtuais têm me feito agradáveis surpresas ... sou, desde sempre, uma aficionada pela comunicação e pela capacidade de compartilhamento que o navegar nos proporciona. as tecnologias da informação e comunicação nos ensinaram novas formas de nos conhecermos, revelando-nos novos espaços e tempos onde transitar afim de paquerar, encontrar amigos, pessoas que pensem afim, etc ...

hoje é corriqueiro adicionarmos desconhecidos(as) em nossas redes sociais; assim fazemos porque encontramos algum ponto em comum em seu perfil, seja uma imagem, seja uma citação, seja o lugar de origem da pessoa ... são infinitos os motivos pelos quais podemos nos aproximar virtualmente de alguém ... exatamente como nas relações ditas presenciais, que ocorrem de forma única, singular, como há que ser entre dois seres (únicos!) -  independente do dispositivo mediador.

4.12.11

porque a Escrevente cai na fenda - como Alice no País das Maravilhas*

CAINDO NA FENDA

acalento cada novo escrito que me nasce
como um filho renascido do pós-morte

alimento
cultivo
fomento

e de repente
por uma fenda na linha onde escrevo

consigo ver
o pátio da casa da infância
(a árvore ainda no jardim)

ouço nítida
a canção da brincadeira de roda na rua
(a voz materna chamando para dentro)

o cheiro de pão fresco no olho da mãe

..

de repente
por uma fenda na linha do tempo onde escrevo
consigo escre(ver) a Vida

(Curiosa)

..

*
porque a Escrevente, vez em quando, precisa sair da realidade.
e o que temos hoje de recursos para isso?
álcool, drogas infinitas ...?
pois! esses já não me fazem ver a fenda ...

escrever é o único vício que me tem feito cair na fenda ...

ultimamente, tenho enchido caderninhos de poemetos,
ao ponto de reescrever uma dezena de vezes
cada escrito para considerá-lo acabado ...

depois de cheio o caderno, tiro as folhas e as jogo ao vento ...
ou as largo nos banheiros do meu trabalho,
ou na sala de espera de um consultório médico,
a fim de que sejam lidas .... objetivo último de qualquer poema ...

e assim consigo sobreviver a mim ...

2.12.11

porque delirar é o mais científico que a Escrevente pode ser

DIVERSIDADE EXISTENCIAL

creio em várias realidades

múltiplos caminhos
criados
por nossa
intenção e vontade

(conscientes ou inconscientes)

o átomo toma forma real
segundo cada possibilidade
formando nova totalidade
sob a superfície sem costura
onde nos movimentamos

nesses mesmos
espaços-tempos
constituídos

vivemos

não uma encarnação de cada vez
mas todas
ao mesmo tempo
infinitamente conectadas

(Curiosa)


28.11.11

porque a Escrevente foi entrevistada e experimentou a lisonja

verdade! entrevistada ...

é que o Léo, do Blog SeximaginariuM,
por algum motivo alheio ao meu conhecimento,
achou que eu daria uma boa postagem em seu famoso talksexi,
onde desfilam renomados blogueiros, em entrevistas deliciosas ...

experimentei a lisonja ...
foi bom para mim ... deu até medo ...
ela dá boa massageada no ego ... e poderia me dominar facilmente ...
mas só me restou aceitar o convite, pois já disse François La Rochefoucauld:
Quem recusa uma lisonja é porque procura ser lisonjeado duas vezes.

grata, Léo ... você me lisonjeou nas várias vezes em que me convidou ...
e eu não pude ser humilde em aceitar da primeira vez ... hoje percebo ...
é uma honra, Léo, amigo, estar publicada em seu espaço ... 

há anos estamos juntos aqui na blogosfera e
é um prazer compartilhar meu tempo e meu espaço com você
e com todos que por aqui param para deixar
seu contato de carinho ... agradecida ...

veja a entrevista aqui.

24.11.11

porque os clássicos nem sempre satisfazem a Escrevente

ÀS VEZES TENHO IDEIAS FELIZES

Às vezes tenho ideias felizes,
Ideias subitamente felizes, em ideias
E nas palavras em que naturalmente se despejam ...

Depois de escrever, leio...
Porque escrevi isto?
Onde fui buscar isto?
De onde me veio isto? Isto é melhor do que eu ...

(...)

(Álvaro de Campos)

..

engraçado ... eu leio o que escrevo e penso:
- nossa! eu sou muito melhor que isso ...
(talvez porque eu não seja nenhuma 'Fernando Pessoa' ... )

quicá conseguisse eu expressar em palavras o belo que por instantes me cruza ...
ah! se eu lograsse expressar todo o desalento que já me passou pela alma ...
ah! seu eu encontrasse palavras para nomear o sentido que a vida me tem ...

mas não ...
sobre nada escrevo com propriedade ...
nada que escrevo é melhor que eu ...
eu sou mais do que o que consigo expressar ... e muito melhor ...
assim como todo ser humano o é ... assim como o poeta ...

acho que o poeta teve foi uma ideia infeliz ...
penso que nem mesmo ele, ainda que com vasta obra,
tenha conseguido expressar o seu todo e/ou o seu melhor ...

e isso porque a Humanidade ainda não logra fazê-lo,
nem moralmente, já que ainda grassam fome e miséria mundo afora,
nem biologicamente, uma vez que usamos pequena parte do cérebro ...

então, eu perdoo o poeta, que antes de poeta, é humano ...



23.11.11

porque a Escrevente passa tempo pensando no tempo

INFÂNCIA

no tempo
em que eu tinha todo o tempo do mundo
o tempo não existia

sempre era hora para brincar de roda
ou para viajar em um faz de conta

naquele tempo, o tempo era agora
um agora de eterno deslumbramento

(Curiosa)

20.11.11

porque a Escrevente nem sempre sente o que escreve

EscreXISTINDO

quando
não consegue mais se reinventar
esquecida de si

a Poeta escreve

quando
lhe sangra os olhos
e lhe seca o corpo
de dor ou de amor

a Poeta escreve

quando esquece
porque rompeu ou porque amava
ou porque sorria ou porque existia

a Poeta escreve

e escreve e escreve e escreve
em busca do não-dito
que lhe nomeie as lembranças
e lhe traga o escressentido

(Curiosa)

..

15.11.11

porque a Escrevente procura o abrigo de uma caverna escura*


ENCONTRO

O olho caça
na mata
abaixo do umbigo
um abrigo
secreta pátria
a língua avista
bem no centro
do jardim de pelos
o lugar
caverna
doce e úmida

(Almandrade)

..

5.11.11

porque o futuro da humanidade é a androginia, pensa a Escrevente


Androginismo

Quem é esse rapaz que tanto androginiza?
Que tanto me convida pra carnavalizar
Que tanto se requebra do céu de um salto alto
E usa anéis e plumas pra lantejoulizar
Que acena e manda beijos pra todos seus amores
E vive sempre a cores pra escandalizar

A minha mãe falou que é um tipo perigoso
Que vive sorridente fazendo quá, quá, quá
O meu pai me contou que um dia viu o cara
Num cabaré da zona dançando tchá, tchá, tchá

Quem é esse rapaz que tanto androginiza?
Que tudo anarquiza pra dissocializar
Com mil e um veados puxando seu foguete
Que lembra um sorvete pra refrescalizar

Cuidado aí vem ele, é um circo, é um cometa
Abana, abana, abana, que é o Papai Noel

Cuidado aí vem ele, é um circo, é um cometa
Abana, abana, abana, que é o Papai Noel

Eu pensei que todo mundo fosse filho de papai
Noel ...

(Almôndegas)

31.10.11

porque a Escrevente supera a si mesma

HEROÍNA DE MIM

do centro do castelo
da minha vida
subo e desço
entre a mais alta torre
e o mais profundo calabouço
caminho sinuoso
fere-se a alma
em pontas de desgosto
afiadas

vendo a ilusão que me vai embora
cintilantes dores chegam
em grupo
aproxima-se então
o nada
consome minhas cinzas
a realidade

porém
brisa suave traz o perfume do alto
- a heroína intui sua dimensão divina

e a cada vez no topo
sonha com a alegria
ilude-se com a filosofia
e permite que o mundo a veja
vibrante
na vitória de um instante
sem sua máscara de agonia

(Curiosa)


a Vida da Escrevente está em paz ... ao mesmo tempo, vibrante ...
a Heroína está em uma alta torre do castelo, neste momento ...
por instantes, pensa ser ela mesma a se expressar ...
tirando as máscaras, essência ... permitindo-se ...


27.10.11

porque a Escrevente passou frio à noite e acordou nostálgica




Los viejos amores que no están,
la ilusión de los que perdieron,
todas las promesas que se van,
y los que en cualquier guerra cayeron

Todo está guardado en la memoria,
sueño de la vida y de la historia.

El engaño y la complicidad
de los genocidas que están sueltos,
el indulto y el punto final
a las bestias de aquel infierno.

Todo está guardado en la memoria,
sueño de la vida y de la historia.

25.10.11

porque os Eus da Escrevente se manifestam


a Escrevente anda a trabalhar demais. 12h por dia.
não foi ideia minha. nem dela. foi de uma outra de nós. uma que não escreve.
a cética. a que atravessa a rua quando iria cruzar com uma Filosofia qualquer.
a que torce os beiços frente aos escritos da Escrevente.
mais: fica com vergonha deles.

ela é do tipo trabalhadeira: baixa a cabeça e encara. tudo para não pensar.
tudo para o tempo passar. ela só precisa se manter viva. e a Vida passará.
este é seu lema: manter o corpo vivo. a mente, por ela, morria.

ela sente vergonha mesmo, talvez asco, em ver sua intimidade
escancarada na Palavra da Escrevente. tudo que a cética
esconde dela mesma, está publicado neste blog.

e nenhum ser humano, de perto, é bonito de se ver.
muito menos bonita, ainda, a Escrevente e seus Eus.

porque revelar isso tudo?
por que, afinal, a Escrevente nos expõe assim?

..

eu sei. ela escreve para continuar existindo.
e nós, os outros Eus, só existimos porque ela escreve.
simples assim.

..

para aquela que tem vergonha,
a Escrevente, em pessoa,
responde-lhe, em poema:


CORPO E ALMA

pede ele
pela metafísica
implora ela
pela matéria

corpo e alma
conjunção sagrada
cuja plenitude
está no gozo
e na Poesia

(Curiosa)


..

14.10.11

porque a Escrevente gosta da Pessoa, não do binarismo macho/fêmea



AMOR ANDRÓGINO

teu corpo
fortaleza
- delicado
acorda desejo
nunca antes
professado:

quero-te
muito além
do falo
lânguida fêmea
em macho vassalo

(Curiosa)

10.10.11

se eu venderia um Poema? nunca!


se eu tivesse tempo, escreveria sobre o que é arte e quem pode ser artista ...
sobre como uma sociedade ideal encararia a arte ...

a arte sob a lógica capitalista atual ...
a arte deve ser vendida?
com base em que um artista atribui valor monetário ao seu trabalho?

quando o artista tem que 'criar mais do que gostaria' em função
da sobrevivência, ainda é arte?
a arte tem que ser sempre prazerosa e divertira?

..

ando encucada com isso tudo ...
não gosto de nada que se relacione com dinheiro e compra/venda de arte ...

todos nós somos artistas em potencial,
apenas não tivemos a oportunidade de desenvolver nossos talentos ...
em uma sociedade ideal, viveríamos meio turno trabalhando para
a sobrevivência do coletivo, e o resto do tempo desenvolvendo nosso
puro prazer artístico, pois assim evolui a Alma humana ...
todos nós podemos evoluir para artistas ...
todos nós, vamos, impreterivelmente, evoluir para artistas ...
(ainda que possa levar várias vidas materiais para isso ...)

..

GOSTARIA eu de ser uma poetisa com milhares de livros vendidos
como uma Cecília Meireles?? não.
não quero ser [artista] na sociedade corrompida em que vivemos ...

ah! não tivesse que trabalhar 12h por dia, começaria JÁ um livro sobre esse assunto.




2.10.11

a Escrevente responde a um pedido de namoro


RESPOSTA A UM PEDIDO DE NAMORO

se você quer comigo estar

saiba que eu
mordo antes de pensar
palavreio antes de pesar
desenfreio antes de negar
esperneio antes de aceitar

mas - amo - antes de amar

e se me pudesse você suportar
eu lhe poderia amar

mas veja
mal consegue me ler
imagine viver ao meu lado
olho no olho
metamorfose diária
camaleoa-mulher

você se reapaixonaria a cada instante
pelo novo que se lhe apresentasse?

quando você diz querer [comigo] estar
já me limitou - porque me definiu

(Curiosa)

25.9.11

quando a Escrevente quer fazer sexo, escreve limeriques


LIMERIQUE DE UMA POETA NO CIO

estava a poeta espoleta
(se lhe ardia uma verseta!)

mas doesse o físico
ou o metafísico
ela sentia é na boceta

(Curiosa)

....

Limerick - ou Limerique - é um pequeno e curioso poema,
que se usa de humor, ironia, graça ou absurdo em sua construção,
falando impudicamente das partes pudentas,
como bem o disse Luiz Roberto Guedes, aqui.

todo limerique é erótico ... é ainda chulo, reles, grosseiro ... mas acima de tudo, divertido e verdadeiro ...  eu gosto de fazê-los ... eu me diverto ...

o limerique possui cinco versos. os versos 1-2-5 possuem oito sílabas poéticas, que rimam entre si, e os versos 2 e 4, com cinco sílabas poéticas rimando entre si.

20.9.11

porque a Escrevente está se reciclando


imagem/poema (lindo!) de autoria de meu amigo Tonho, visite seu  blog

















eu estou a trabalhar muito ...
então, não tem me sobrado tempo para publicar por aqui ...

além do fato
(importantíssimo fato!)
de eu estar sem vontade de escrever nada ...

 por enquanto, estou me reinventando ... reclusa de mim ...


10.9.11

porque cada dia é uma conquista desta Escrevente


FRENTE AO INSTANTE DA DOR
ou (IN)SANIDADE

a Poeta
atarantada
de um lado para o outro
repete o que recém pensou
e de novo pensa de novo

e de novo
e de novo

a Vida lhe arrancou as vontades

a Poeta encarcerada
a Poeta dilacerada
a Poeta monocromática
em monopensamento possuída
murmura sua ladainha infinita:

- euvousobreviver euvousobreviver

(enquanto a Vida ri, olhando-a de viés)

(Curiosa)


porque a Escrevente sonha na Poesia


CONTO DE FADAS

Eu trago-te nas mãos o esquecimento
Das horas más que tens vivido, amor!

E para as tuas chagas o ungüento
Com que sarei a minha própria dor.

Os meus gestos são ondas de Sorrento...
Trago no nome as letras duma flor...

Foi dos meus olhos garços que um pintor
Tirou a luz para pintar o vento...

Dou-te o que tenho: o astro que dormita,
O manto dos crepúsculos da tarde,

O sol que é d´ouro, a onda que palpita.
Dou-te comigo o mundo que Deus fez!

- Eu sou aquela de quem tens saudade,
A princesa de conto: "Era uma vez ..."

(Florbela Espanca)


7.9.11

porque a Escrevente reflete sobre a Poesia e a Morte

poesia não é uma inspiração momentânea sagrada, cuja escrita nunca deva ser alterada. não. já sabemos que os poetas mais famosos se deixaram ficar tempos e tempos buscando a palavra certa para o verso, para a rima; a palavra (que o poeta sabe existir) com a síntese completa do significado mais amplo para caber no verso. essa busca não se dá por vaidade ou algo do gênero, mas porque a poesia nada mais é do que a reflexão do poeta. e por vezes ele não chega onde gostaria, ou demora a chegar.

a poesia é uma inspiração nebulosa, que surge aos rompantes no pensamento. sabe-se que para pensar não usamos palavras e frases inteiras, mas fragmentos de ideias que bastam para nossa própria compreensão interna do momento. somente criamos frases quando falamos ou escrevemos, ou no uso de uma linguagem qualquer, para nos comunicarmos com outros. 

difícil definir uma inspiração. é uma vaga ideia a respeito de algo. eu (porque sempre falo a partir de mim) escrevo para ordenar os pensamentos. por vezes, pego uma dessas inspirações (as mais latentes) e tento colocá-la no papel. a temática fica na minha cabeça, sei o que sinto e o que gostaria de passar para a escrita em relação a ela, mas não visualizo o poema em palavras, ainda ... somente a ideia central. colocada esta ideia central na escrita, o restante das palavras vêm no exercício de reflexão acerca do tema. 

mas o importante a se dizer do poema, é o quanto ele me ajuda a pensar e resolver assuntos internos. e  imagino que assim seja para todo e qualquer poeta. quando digo:

TENTATIVA DE SUICÍDIO

entrou na banheira e
cortou sua razão
- rente à pele

minha ideia inicial foi, em um momento de extrema tristeza, escrever sobre suicídio (o que por si só já seria terapêutico) ...  partindo de uma temática negativa e pessimista, no decorrer da construção do poema, acabei elaborando que me suicidar era o mais irracional que poderia pensar ... e esta ideia foi a que prevaleceu na escrita de meu poema ... acho, inclusive, que saiu um poema positivo.

é isso que a poesia faz comigo, ajuda-me a elaborar (positivamente) minhas questões mais profundas. a prosa nem sempre me dá as devidas condições ou o tempo necessário para internalizar uma temática, como na poesia, que quando vinga, culmina na elaboração de uma nova síntese acerca do assunto.

o poema existe além e aquém da escrita; portanto, o poema nem sempre irá gerar algo escrito ...

entretanto, mesmo quando jogamos a ideia central de um poema no papel, pensamos a respeito, mas não conseguimos levar a escrita adiante, a reflexão estará feita. logo, o objetivo estará alcançado. a poesia ganhou. a poeta ganhou. por outro lado, assim que é escrito, o poema não tem mais nenhuma relação com seu criador. para ele existir terá que ser lido e refletido por outros, que o verão como poema, ou não. (mas essa questão daria um outro artigo, deixemos para outro dia)

enfim, poesia é síntese, antes de tudo.


3.9.11

porque a Escrevente está ausente de si


tenho vivido os dias tristemente ...
dói-me a ausência diária de minha filha, que foi morar com o pai ...
(não sabe do que falo? saiba aqui)
sim! ela está ótima ... 
é o melhor que lhe poderia acontecer neste momento ...
eu? estou sobrevivendo, ainda que ausente de mim ...
e os dias adquiriram uma certa atmosfera em cinza ...

..

AUTORRETRATO

quando me querem
centrada
sou o desmedido

romântica
o grotesco

magnífica
o frugal

curiosa
parcimônia

e quando me querem
quem sou
sou ausência

(Curiosa)

..

2.9.11

porque ontem o show do Egberto Gismonti salvou a Escrevente





sim.
ele ... ele e a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro ...
foi um gozo de duas horas, literalmente ...
maravilhoso! desde a música palhaço, que embalou minha juventude,
até uma partezinha, apenas,  de sertões veredas, pois é uma peça de 70min.
(é...  fiquei sabendo dos 70min ontem, sim ... rsrs ...)
claro que encontrei amigos que não via há 20 anos ...  foi muito bom ...

pena que tocou o celular de alguém por quatro vezes  ...
e em uma das vezes, um idiota ainda deu uma risada debochada, a todo volume de voz que conseguiu ... atitudes condenáveis ... mereceu uma parada no piano solo do Egberto, uma mudança na sua expressão facial, que depois de alguns segundos, dissipou-se e ele disse: passou! essa foi forte ... lamentável que o Egberto tenha que passar por isso aqui no sul, pois somos um povo que adora ele e seus 64 discos, com músicas reconhecidas pelo mundo afora ... 

falando da organização do espetáculo, penso que devia haver um apresentador para reforçar da importância do trabalho dos artistas convidados, pois nada mais patético do que um artista argumentando o quanto seu trabalho é/foi importante para o mundo ... isso já sabemos, por isso estamos lá a assisti-lo ...

ainda que ele fale que se trata do reconhecimento da música brasileira, não é ele quem deveria dizê-lo ... ele devia falar é de como compõe, onde e em que se inspira, onde e como estuda/estudou para compor, porque compõe ... ele citou, por exemplo, que é amigo pessoal do Manoel de Barros ... então ... eu quase levantei pedindo que ele nos falasse mais de seu amigo poeta .. de como se misturam a poesia e a composição musical no universo da amizade deles ... mas não tive coragem, claro ... 

ele esteve aqui graças ao projeto UNIMÚSICA, da UFRGS ...
um projeto que existe há 30 anos, sempre com muita qualidade no que faz ...
mas que peca em alguns aspectos ...

no mais ... foi maravilhoso ...


30.8.11

porque a Escrevente buscou ajuda do amado


O CORPO DO AMADO

teu corpo é templo
(e somente nele encontro alento)

teu peito
são nuvens
onde descanso
meus silêncios
meu gozo
meu choro
meu riso

tua voz é melodia
que dissipa minhas dores

teu ventre é ferro
que elabora a minha seiva

teu corpo é templo
(e somente nele me encontro)


(Curiosa)


29.8.11

porque vez em quando, a Escrevente se empoeticida


POETICÍDIO

jogou o Verso
no precipício

espatifou-se
o Poema
ao chão

e a Poeta
- no mesmo instante
estrebuchou
disletrada


(Curiosa)

...


28.8.11

porque a Escrevente tem fome e não sabe de quê


MATANDO A FOME

a matéria
lhe exige o pão de cada dia ...

e a Poeta lhe atira sonhos

e sussurra, enternecida:
- você acha que a Dor vem da matéria?
puah!
o rombo
que lhe arde no estômago
nasce na minha Filosofia,
mora no meu dia-a-dia,
e só morre com a minha Poesia.

(Curiosa)

..

18.8.11

porque a Escrevente queria dizer o nada


queria
eu
também
fazer
um
poema
sobre
o nada

porque por mais que eu escreva
que um beijo me ala em garça
que uma nuvem me azulece o gozo
que um sorriso me derrete em bruma
o papel em branco é que me (d)escreve

(Curiosa)

15.8.11

porque a Escrevente goza na tarde ensolarada


SINCRONICIDADE

a tarde
assanhada
me seduz
refestelando
sóis e violetas

eu acedo
atardanhada
e me entrego
escregozando
odes e poemetas

(Curiosa)
..

14.8.11

porque o pai da Escrevente foi Herói



porque a Escrevente fala de sanidade

penso como Antonin Artaud: 'todos os atos individuais são anti-sociais.
Os loucos são as vitimas individuais por excelência da ditadura social.'

para mim, sanidade está relacionada com estar bem adaptada socialmente ...

faço o mínimo que me é exigido para que me deixem em paz: tomo banho todos os dias, vou ao trabalho, tenho filhos, ganho títulos e valores, pinto as unhas... ou seja, vivo para que me deixem em paz ... e escondo meus delírios para transformá-los em poesias, em blogues anônimos, sob um pseudônimo ... assim garanto que não serei rotulada e internada ...

veja um exemplo do que que está me enlouquecendo atualmente: a cor do meu cabelo ... já contei aqui que estou deixando meus cabelos ficarem com sua cor natural .. o que significa dizer que ficarei totalmente grisalha ... 

eu quase apanho das amigas por isso ... minha mãe acha que é até pecado ... parece que toda a feminilidade e a eroticidade se vão apenas pela mudança na cor do cabelo da mulher !! é difícil convencer que eu acho realmente bela cor que fica, entre os nuances de branco e cinza ...

e preciso aceitar o olhar do outro que me diz: que louca! 
já estou quase pintando o cabelo, antes que tentem me internar!

o que eu faço frente ao mundo insano? um poema!
para não me violentar muito, tento silenciar e poetar ...

10.8.11

porque a Escrevente queria escrever um Poema por dia

UM DIA DE CADA VEZ

fazer um poema por dia
(auto-promessa de epifania!)
evita ao coração a sangria
e da alma tira a agonia

(Curiosa)

9.8.11

porque a Escrevente busca manter a sanidade

SANIDADE

quando o vento
fizer bater a janela
bradando teu nome
em uivo doloroso
eu não ouvirei

quando a tarde
escrever teu nome
no amarelo do sol
em desespero luminoso
eu não olharei

quando a dor
esmorecer a esperança
chorando teu nome
em expurgo pesaroso
eu não amarei

(Curiosa)

5.8.11

porque a Escrevente precisa escapar de si mesma


o frio traz dor para a Escrevente ...
muitos sofremos, no sul do País, ao ver pessoas passando frio,
dormindo pelas ruas, mal agasalhadas e abandonadas pelo poder público.

deixo aqui dois números de telefone da prefeitura de Porto Alegre/RS,
setor de abordagem para recolhimento de sem-tetos: 
3289 4994 (para menores) e 3346 3238 (para adultos).

..
SÓ PARA EU LEMBRAR

a situação do mundo não é minha culpa
a situação do mundo não é minha culpa
a situação do mundo não é minha culpa

ninguém precisa mais de mim do que eu mesma
ninguém precisa mais de mim do que eu mesma
ninguém precisa mais de mim do que eu mesma


2.8.11

porque a Escrevente queria ter alguns cinco filhos - e só tem uma

QUESTÃO FILOSÓFICA DO DIA

agora, quando ninguém me vê,
eu existo mesmo?

..

já contei aqui (leia o post) que minha filha, de 16 anos, está indo morar com o pai ...
ela mora pertinho da minha casa ...

pertinho, sim ...
mas a Escrevente (uma outra que não sou eu!)
está em uma rotina doentiamente doentia  ...
chora copiosamente todas as noites, por horas e horas ...
depois passa horas e horas com gelo nos olhos para
poder levantar na manhã seguinte ...
(e todos percebem que a Escrevente chorou, claro!)

geminiana não deveria morar sozinha .. nunca ...
é preciso comentar a Vida que lhe passa ...

eu ando falando somente com o cachorro ...
mas não aguento ver a cara de perplexidade irracional que ele faz,
tentando entender a sua humana ...

..

eu sou mãe, antes de tudo ...
não sei se vou resistir a isso ...


27.7.11

porque a Escrevente está tendo pesadelos recorrentes




















livros a atacam em bandos enormes e pesados, ameaçando decifrá-la ...
nós podemos te dizer, afirmam eles ... somente nós ...

e eu grito que não! que não sou tão decifrável assim ...
que há partes de mim que não são podem ser ditas em palavras ...

e os livros debocham e riem, dizendo que tudo pode ser dito em palavras...
e saio correndo em uma lúgubre cidade de livros,
que lenta e infinitamente despencam em cima de mim ...

..

humhum ... isso é que é pesadelo ...
é meu conceito de inferno:
um bando de livros tentando me decifrar ...
eu que detesto rótulos e senso comum!
(eu sou uma metamorfose ambulante!)
quando eu consigo me definir, é porque já mudei ...

26.7.11

porque a Escrevente sonha com a complexidade da Vida no Campo


RÚSTICA

Ser a moça mais linda do povoado.
Pisar, sempre contente, o mesmo trilho,
Ver descer sobre o ninho aconchegado
A bênção do Senhor em cada filho.

Um vestido de chita bem lavado,
Cheirando a alfazema e a tomilho...
- Com o luar matar a sede ao gado,
Dar às pombas o sol num grão de milho...

Ser pura como a água da cisterna,
Ter confiança numa vida eterna
Quando descer à "terra da verdade"...

Deus, dai-me esta calma, esta pobreza!
Dou por elas meu trono de Princesa,
E todos os meus Reinos de Ansiedade

(Florbela Espanca)

..

a Escrevente sonha com uma vida no campo ...
não sonha com: vida simples no campo ...
não ... porque de simples - a Vida não tem nada ...
viva a complexidade !!
bucólica ou urbana ... viva !

23.7.11

porque a morte da Amy Winehouse trouxe a Morte para a Escrevente



esta preciosidade de vídeo me faz lembrar meus vinte anos de idade .
um ex-namorado meu (de vinte e cinco anos atrás) faleceu recentemente ...
prematuramente, pois tinha ele cinqüenta e poucos anos ...
uma pessoa especial, apaixonante, a quem eu sempre amei ...

com ele, em seu fusquinha amarelo, eu freqüentava os botecos da cidade ...
a Apolo, na Rua Lima e Silva,  aqui em Porto Alegre/RS,
chamada carinhosamente de 'cu sujo', onde estávamos todas as noites,
depois de um dia exaustivo de trabalho ... (já não existe mais) ...

íamos com freqüência a um outro bar na esquina da Sarmento Leite
com a Lima e Silva ... (hoje um restaurante chique) onde o
dono tinha paredes e paredes de cachaças especiais ...
e havia, ainda, o botequim onde almoçávamos, perto do trabalho ...
mais o Adriano, na Rua da República ... nesses, éramos clientes de fé ...
e claro, havia todos os outros botequins da cidade ...

enfim, um balcão de botequim me traz muitas e boas lembranças ...
neles já amei, já odiei, já fiz a revolução ...

mas confesso, somente freqüentava esses botecos pelas companhias ...
lá estávamos sempre Pessoas Especiais ...
querido Hélio, esteja em paz.

quanto à Amy,
cada um sabe a dor (e a delícia?) de ser quem é ...


21.7.11

do blog SOTBLOG - sobre as chuvas no sul, norte e nordeste do país


clique no link abaixo e conheça o blog dessa pessoa sensível, que é o Sotnas ...
ele escreveu este lindo poema sobre os efeitos das últimas chuvas no sul,
norte e nordeste do país  ...

no RS, recém alguns municípios obtiveram (com estas chuvas)
pequena recuperação dos níveis de água em seus reservatórios municipais.
veja Bagé, passava 14 horas sem água. agora, passa 12 horas.

o resto do país não sabe do processo de desertificação que o Rio Grande do Sul
vem sofrendo, há anos. as pessoas simplesmente estão perdendo suas terras
e estão em processo de miserabilidade, abandonadas pelo poder público.

por outro lado, as chuvas de ontem, que foram torrenciais, causaram enchentes,
deslizamentos, com pessoas desalojadas e desabrigadas aqui no estado ... 

.............. tristezas, enfim ............
eis a grande Mãe-Água, que cria e destróis a seu bel-prazer ...

sejamos solidários ... 

SOTBLOG 
PRETENSOS VERSOS DE UM PRETENSO POETA:
Lágrimas pela chuva

Ah, as chuvas!
Desaguaram no sudeste,
E fizeram verter lágrimas,
E no nordeste, deixaram
Seu rastro de morte
E dor feito a peste!

Desaguaram no sul,
E fizeram verter lágrimas,
Sob o céu azul
Dos plantadores contentes,
Pois na terra úmida,
Não mais rachada,
Vai brotar novas sementes

E o vermelho da terra,
Não será o mesmo, que corre
No interior da nossa gente,
Cobrir-se-á de verde,
Pela nova colheita,
Que viçosa cresce

E toda a vida aos céus agradece,
É assim também na natureza,
Aquele que faz aqui, aqui aceita
E os seres terão o seu alimento,
Da terra que d’antes,
Nada crescia, e rachava de sede,
Como lá no nordeste,
Sempre esteve!

(Sotnas Odlabu)

19.7.11

porque a filha da Escrevente está indo morar com o pai

ela tem 16 anos. e é maravilhosa!
há um mito de que a adolescência é complicada.
nada! é linda!

essa época, como qualquer outra da vida do indivíduo,
é o resultado de toda a vivência e convivência anterior ao período.
é um processo, nada muda do dia para a noite.
vai ser bom para ela passar pela experiência de morar com o pai.

eu ?....... eu estou triste demais .......
adoro a casa movimentada, cheia de crianças,
jovens ... família!
algo está errado na minha vida ...
eu gosto de casa cheia e estou morando sozinha ...
..

só para eu não esquecer:

ninguém precisa mais de mim do que eu mesma
ninguém precisa mais de mim do que eu mesma 
ninguém precisa mais de mim do que eu mesma 
ninguém precisa mais de mim do que eu mesma 
ninguém precisa mais de mim do que eu mesma 
ninguém precisa mais de mim do que eu mesma 
ninguém precisa mais de mim do que eu mesma 
ninguém precisa mais de mim do que eu mesma

16.7.11

porque o Inverno está na Alma da Escrevente



HAICAI
      DE INCÍCIO DE INVERNO

Ipês desflorados
inverno em minha alma
- só o chão se colore

(Curiosa)



HAICAI
      DE FINAL DE INVERNO

jacarandá florido
pipilar de pássaros -
colore-se a alma

(Curiosa)






a Escrevente ri quando goza


TEU RISO

ao som do riso
do amado
a Poeta
sai da analgesia
atira-se à ventania
embarca na fantasia
e  goza na Poesia

(Curiosa)

15.7.11

AMORE QUOQUE TAMEN - Salomão Rovedo


Por que não me suicidei? Para não satisfazer o bruxo.
Sigo vivo por estar atracado ao refluxo dos olhos dela.
Espero, a vida espera, o instante estagnado espera ...

Imagino o espaço, pressinto a bala, o sorriso do bruxo.
Vai aguardar, vida, até conseguir de novo os olhos dela.
(Mas o espaço, tempo que resta, suportará tanta espera?) 

Há o tempo: débito que ficou e o tempo que sobra a ela,
eqüidistantes no corpo, paralelos, calcados no imaginário,
e que se distanciam – apodrecerá meu fôlego no equador? 

Interregno que custa admitir: a minha vida hoje é ela!
(é o que afirma um outro eu, que só existe no imaginário
sem sobreviver à custa de milagres, abaixo do equador)

..

12.7.11

a Escrevente vê provas do quanto o ser humano pode ser belo


devemos assistir mais e mais uma vez a este vídeo, para que não
esqueçamos do que realmente é importante nesta Vida,
que é a própria vida ...

eu choro a cada vez que vejo, justamente por estar presenciando
o testemunho do quanto o ser humano pode ser e ver o belo ....
e se  Nick Vujicic consegue ver o belo da vida, nós também
conseguiremos um dia ...

11.7.11

porque no Inverno, o corpo da Escrevente pede


MASTURBAÇÃO

pego o instante
e o enfeito

rosa-carmim
em nosso leito

e teu pensamento
´gozando em mim

(Curiosa)

..

quando está frio, eu quero dormir acompanhada ...
quero estar apaixonada ... fazer amor, emocionada ...
dormir aconchegada e acordar com uma trepada ...
(sorry pela rima pobre ... não resisti - porque é meu desejo ...)

o frio une a Humanidade ...


porque a Escrevente, vez em quando, sai de si


ÉDEN

Ela anda em sensual esplendor,
desesperadamente calada.

Procura voz própria e encontra
tudo de alguma maneira.

Mesmo que a voz alheia inspire
a sugar a essência da vida,
ela hesita, desmaia, foge ...

(Salomão Rovedo)

10.7.11

novo terremoto de 7,1 no Japão e a Escrevente amando


como um raio - pontiagudo e afiado
que mancha a Palavra a carmim
teu nome - quando pronunciado
crava um verso novo em mim

Curiosa

..

e em meio a terremotos e tsunamis, pronunciar teu nome
é seguir bolhas de sabão em tarde ensolarada cheirando
a grama verde ouvindo teu riso sabor algodão-doce ...

7.7.11

porque o Inverno traz sentimentos inesperados para a Escrevente


QUANDO A ERVA CRESCER

Quando a erva crescer em cima da minha sepultura,
Seja este o sinal para me esquecerem de todo.
A Natureza nunca se recorda, e por isso é bela.
E se tiverem a necessidade doentia de "interpretar" a erva verde
sobre a minha sepultura,
Digam que eu continuo a verdecer e a ser natural.

(Alberto Caeiro)

3.7.11

toda repetição é uma ofensa, senão na Poesia




Aunque mi vida este de sombras llena
No necesito amar, no necesito
Yo comprendo que amar es una pena
Y que una pena de amor es infinita

Y no necesito amar - Tengo vergüenza
De volver a querer lo que he querido
Toda repetición es una ofensa
Y toda supreción es un olvido

Desdeñosa, semejante a los dioses
Yo seguiré luchando por mi suerte
Sin escuchar las espantadas voces
De los envenendados por la muerte

No necesito amar - absurdo fuera
Repetiré el sermón de la montaña
Por eso de llevar hasta que muera
Todo el odio inmortal que me acompaña

1.7.11

porque nem sempre a Escrevente ama o Outro



















o amor e a repulsa pululam lado a lado
entrelaçam-se-continua-mente
emaranhando-se
pelos pequenos atos
escoantes-e-apertados
da vida vivida

(Curiosa)



30.6.11

sobre o frio no sul do país














 faz um frio danado no
sul deste país ... é lindo, não? eu adoro também ...
mas há pessoas morrendo de frio ... você que pode, doe agasalhos ...

porque as dores fazem a Escrevente free-losofar

PARINDO DORES

acalento cada dor emergente
como um filho novo que nasce

sem elas, que seria eu?
alma embrutecida
vivendo em disfarce

(Curiosa)

..

29.6.11

campanha de doação de agasalho - hoje, a temperatura me lembrou você


(...)
E abro a janela. Ainda a lua esfia
Últimas notas trêmulas... O dia
Tarde florescerá pela montanha.

E oh! minha amada, o sentimento é cego...
Vês? Colaboram na saudade a aranha,
Patas de um gato e as asas de um morcego.

(Pedro Kilkerry)

..

agora, agora é o frio que colabora ...
... o frio me obriga a namorar. é um efeito automático,
sentido repetidamente, a cada inverno. rsrs ...

adoro a teperatura que faz no Rio Grande do Sul.
este é o inverno mais frio dos últimos dez anos ...

por outro lado, fico muito triste pelos que passam frio ...
sei que lhes dói mais que a fome ou que a dor psíquica ...
caso você posssa, doe agasalhos.
e, creia-me, se você está confortavelmente sentado,
dentro da sua casa, lendo-me, você pode doar ...

28.6.11

porque a Escrevente ama


Amor é um arder, que se não sente;
É ferida, que dói, e não tem cura;
É febre, que no peito faz secura;
É mal, que as forças tira de repente.
É fogo, que consome ocultamente;
É dor, que mortifica a Criatura;
É ânsia a mais cruel, e a mais impura;
É frágoa, que devora o fogo ardente.
É um triste penar entre lamentos,
É um não acabar sempre penando;
É um andar metido em mil tormentos.
É suspiros lançar de quando, em quando;
É quem me causa eternos sentimentos:
É quem me mata, e vida me está dando.

(Abade de Jazente)


...

24.6.11

porque a musa da Escrevente precisa dela


SIMBIOSE

Sou seu poeta só
Só em você descubro a poesia
Que era minha já
Mas eu não via.

Só eu sou seu poeta
Só eu revelo a poesia sua
e à noite indiscreta
você de lua.

(Antonio Cícero)

..

sempre escrevemos, postamos, compartilhamos para alguém ...
sou Poeta de uma musa só ... uma de cada vez ...
uma a cada Poema, a cada Escrito ...
uma, no mínimo, é necessária ...
hoje, é você ...

porque chove e chove no RS da Escrevente

aprendi com a claridade
que depois do vento e da chuva
nasce uma flor ou um poema
..

esta linda imagem, com este maravilhoso escrito, foi tirada irresponsavelmente da web, pois não anotei o link da autoria na hora ...

por vezes, faço sessões de terapia no google ... digito algo bem abstrato na barra de pesquisa, como metapoética, incompletude, solitude, coloco na opção 'imagens', e colho raridades como essa ... então, arquivo imagens e imagens que me falem algo de por onde anda meu Eu naquele momento ...
esta casinha longínqua e desfocada é uma imagem que me traduz internamente ... é para onde vou de mim, em mim ...  sou eu não-encontrada de mim ...

(alguns municípios do RS estão saindo de meses
e meses de seca para um estado de enchente ...
somos tão minúsculos frente à natureza ...
e temos a pretensão de dizer que nós a controlamos,
que nós modificamos seu funcionamento ....
que  pretensão, a humana ...
não passamos de mais um ser vivo,
à merce da grande Mãe-Terra ...)

23.6.11

Ibrahim Ferrer e o gozo da Escrevente



lindo! a voz desse senhor querido me faz gozar ... ou me ajuda a gozar...
bem ... eu vou ao gozo com ela, estando ou não em uma relação sexual ...
claro, esta letra é extremamente sensual e sexual e tudo mais nessa área ...

siempre que te pregunto
que como, cuando y donde
tu siempre me respondes

Quizas, Quizas, Quizas

Y asi pasan los dias
y yo desesperado,

y Tu,Tu contestando
Quizas, Quizas, Quizas,

Estas perdiendo el tiempo,
pensando, pensando
Por lo que Tu mas quieras
hasta cuando, hasta cuando

Y asi pasan los dias,
y yo desesperado
y Tu,Tu contestando

Quizas, Quizas, Quizas.

(Osvaldo Farrés)

a Escrevente e o sexo anal



eu estou com essa lourinha aí ...
e penso que, quando doa muito, é porque faltaram beijinhos, lambidinhas
e preliminares do gênero ... e se está doendo, peça mais das preliminares ...

é preciso intimidade e confiança nessa relação ...
é preciso que você tenha certeza que se disser: páre!
ele irá fazê-lo ... quando não houver essa confiança, não dê!risos!)

21.6.11

quando se faz sexo com um Filósofo ou Poeta

quadrinho de Adão Iturrusgarai

início do Inverno 2011 e a culpa da Escrevente em desfrutá-lo



INVERNO NA ALMA

com frio,
a Palavra
se encolhe
e volita
da Escrevente
- enregelada -

(Curiosa)


pois! início de Inverno. adoro o inverno ... mas quem é aqui do sul do país sofre (imagino!) ao ver tantas pessoas desabrigadas, dormindo pelas ruas das cidades.

como fazer para viver sem culpa? ... você vive sem culpa? diga-me como!

20.6.11

o ser humano está no cume da Existência?


estamos longe do cume ...
a Escrevente, a cada vez que lê ou assiste a um jornal,
chora pela desumanidade humana ... 
em especial pela desumanidade masculina ...

quê? você acha isso sexista ou preconceituoso?
pois bem, mais um homem assassinou sua ex-companheira 
por não aceitar a separação ... desta vez no Rio Grande do Sul ...
apenas esta a diferença: muda o endereço, 
mas são sempre as mulheres, de todas as idades, as vítimas ...

mas, perdoemo-nos ... somos tão inferiores ....

no cume da existência? estão as plantas!
nós somos cobaias da Existência ...
...

nós, 
seres humanos
somos 
cobaias das emoções

vez que outra elas 
precisam 
provar o que são
e em atos de disputa 
infantil 
nos impõem 
cada uma seu ápice

mas não nos sintamos
culpados:
cobaias 
não respondem por si

(Curiosa)

..

16.6.11

liberada Marcha da Maconha


não sabe nada sobre a Marcha para descriminalização da Maconha?  bem, hoje o STF deixou de enquadrá-la  como apologia ao crime e a colocou no seu lugar, o de uma livre manifestação do pensamento.

somos um país de assustadora desigualdade social, sim, mas somos mais humanitários e democráticos que muitos outros povos.

socialmente, não temos monarquias caras para sustentar  (existem mais de quarenta países com monarquia no mundo) .... já derrubamos e enfraquecemos todas as ditaduras e temos eleições livres ... buscamos erradicar o trabalho escravo ou não-assalariado.

aqui se conquista o direito de falar livremente em favor da descriminalização da maconha; casais homossexuais já  constituem família legalmente; não legalizamos o aborto; não temos eutanásia; não temos pena de morte ...  não apredejamos ninguém (muito menos mulheres) até a morte ... presamos pela Vida ...

não mutilamos nossos corpos ainda na infância; não colocamos nossas crianças a trabalhar, não as entregamos para outro adulto, em casamento ...  não excluímos ou matamos nossas meninas apenas por serem mulheres e se encontrarem em um país superpopuloso ...

Veja que a França acabou de rejeitar o casamento gay. só para citar UM exemplo de comparação com outros países, pois não quero me estender em comparações, indo até outros continentes em pior estado, como Ásia e África ...

somos um povo moralmente avançado. mas não pense você que alguns ministros ou parlamentares decidem sozinhos tão polêmicas questões. não. elas são reflexo do amadurecimento social dos brasileiros.

sabe como funciona? caso os ministros, ontem, mantivessem a proibição, em poucos dias estariam na rua não só aqueles que defendem a descriminalização da maconha, mas todos os outros (muitos!) que defendem a livre expressão ... e tomaríamos as ruas ... então os políticos preferem abrandar as coisas, permitindo que alguns poucos milhares se manifestem pela legalização da droga ... é assim que funciona ..

sempre conquistamos tudo neste Páis ... nada veio de graça ...

eclipse da Lua - eclipse da Escrevente

 
eclipse de 15 de junho de 2011
a lua
declama
a Vida
que
por ela
passa

(Curiosa)

14.6.11

a Escrevente teve um sonho erótico









 bem ... é verdade ...
foi erótico, mas acima de tudo,
foi um encontro carinhoso ...
quê? não, não vou descrever o sonho ...
é enorme! é o que eu posso dizer ...
rsrsrs ....

queria voltar a dormir, agora ...
é um amor que só encontro no mundo onírico ...

..

Pienso que
estoy en
tu pensamiento
que piensas
que te pienso
y así....
me duerme.

(Ylia Kazama)

13.6.11

a Escrevente e os geminianos aniversariando


Tenho escrito mais versos que verdade.
Tenho escrito principalmente
Porque outros têm escrito.
Se nunca tivesse havido poetas no mundo,
Seria eu capaz de ser o primeiro?
Nunca!
Seria um indivíduo perfeitamente consentível,
Teria casa própria e moral.
Senhora Gertrudes!
Limpou mal este quarto:
Tire-me essas ideias de aqui!

(Álvaro de Campos)

..

então! falando dos geminianos aniversariantes deste mês,
há vários a serem citados. o Fernando Pessoa é um deles ...

e tem a M. -  do meu vizinho é pior que o teu -
uma Pessoa querida da blogosfera ...
parabéns, querida ...

7.6.11

confissões de uma adicta sexual => é a Escrevente



sim ... como eu já depus neste blog, sou uma adicta!
mesmo depois de muito, muito tempo,
bastou uma única noite de sexo para voltar tudo:
no dia seguinte, eu queria um prazer ainda maior ...
é praticamente impossível ficar no primeiro gozo ...

pois bem! chamei meu homem, novamente!

..

6.6.11

a Escrevente se aluga para o dia dos namorados




      tá valendo! mande email ...

porque a Escrevente amou

Mal de desamor
dos olhos é distância:
o corpo voando longe
detona a saudade
– convivendo perto.

Mal de desamor,
enquanto constância
dos adeuses:
será um monge
alimentado a grilos
– nos desertos?

Mal de desamor,
frágil alimento,
que vive de múltiplas
e vastas despedidas:
a cada nova partida
– a cada segundo..

(Salomão Rovedo)



....

não deveria haver preparativos para o sexo da Escrevente?


fiquei em reflexão a partir dos comentários da postagem anterior.
não leu? leia aqui - blogueira se rende ao sexo - fora dele, não há salvação ! .
houve quem falou que não deveriam ser necessários preparativos para o sexo.

bem ...  ocorreu-me  uma passagem da obra de Jorge Amado.
já não lembro do contexto, mas tratava-se de um homem que
pedia a sua mulher (ou sua escravinha, mais provável) que corresse dez
voltas ao redor da casa antes de fazer sexo com ele. buscava o cheiro
verdadeiro da sua fêmea, aquele que aflorava quando o corpo exercia
a função de corpo. além do que, ela, cansada após o exercício,
entregava-se mais completamente ao prazer.

tratava-se de uma preparação para o sexo.
talvez o avesso da preparação predominante hoje,
quando tomamos banhos prolongados e nos perfumamos
com aromas artificiais para esperar o companheiro sexual.

há cerimoniais sexuais que exigem, inclusive,
beeem mais tempo. é o caso dos fãs de bondage ou BDSM,
que necessitam de locais especiais, com acessórios específicos
instalados, e por aí afora.

penso que deva, sim, haver preparativos para o sexo.
quando não há, voltamos ao animalesco.
houve uma evolução no conceito de sexo para a Humanidade.
sexo é celebração para o espírito. e  somente nós, os animais racionais,
sabemos apreciá-lo dessa maneira transcendental.

quanto à minha noite, foi ótima. parti dos rituais básicos;
fiz depilação e banho demorado. depilação, sob relutância, pois,
por mim, meus pelos estariam com seu comprimento natural.
depilo para prazer do outro. para meu prazer, imploro que o parceiro
deixe seus pelos crescerem a vontade ...
enfim, parece que a maioria dos homens prefere sem pelos.
logo, eu depilo!

então... foi banho... relax ... escolher roupa ...
depois bebidinha ... beijinhos ... tirar roupa ...
rsrsrs ... pele na pele ... pele na pele ... pele na pele ...
maravilhoso como só o sexo o é !!
acho que farei mais seguidamente ...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...