3.5.11

porque a Escrevente sente o peso da Matéria

imagem de Esther Ferrer, ‘Música Celestial’


o Corpo canta
em Poesia Concreta
o duro pranto da
Existência

(Curiosa)

9 comentários:

Malu disse...

Muito verdadeiro.
Sempre belas afirmações por aqui!
Um abraço, amiga!

EU SOU NEGUINHA disse...

Demais..
Sempre bom te ler..
Beijos

Sotnas disse...

Olá Curiosa, que tudo esteja bem contigo!
E por aqui tuas intimidades curiosas sempre com belos textos e imagens a nos provocar muitas curiosidades, com palavras que expressam verdades e sentimentos!
Desejo a você e todos ao redor imensa felicidade, agradecido pelas visitas e amizade, grande abraço e até mais!

Ivan disse...

Toda forma de expressão deve ser apreciada, inclusive o choro e a alegria do corpo... Muito bom!

Teresinha Oliveira disse...

Na poesia também se grita de dor.
E, quem sabe, no verso de concreto, ela expurgue mais rápido.

JAMES disse...

Muito lindo o teu trabalho... nota-se que é feito com muito carinho, amor e PRAZER, bjs do amigo Zé

Vilmar Barros de Oliveira disse...

Muito linda!
Acho que o amor é assim líquido:
Lágrimas, suor, saliva e gozo.
Adoro o que escreves.
bjo.

Julliany kotona disse...

Amei teu blog,gostei tanto que resolvi ficar ja estou a te seguir,bjos de bom dia!

♥cinderela♥ disse...

Gostei e fiquei
Bjs meus seguindo-te

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...