5.5.11

a Escrevente se despe de si mesma - sobra o quê?


Feche o sol
apague a lua. 
Temos o quê? 

O homem nu
despido de cor
e eternidade. 

Temos o cu
a fome, o ódio. 

– Então diga
o que gritar? 

(Salomão Rovedo)

6 comentários:

wcastanheira disse...

Uma bela escolha, vc optou por uma pérola para suas visitas por isso é tão bom andar por aqui, pra vc bjos, bjos e bjossssssssssssss

João Pedro disse...

Olá adorei o teu post! Eu sou o João Pedro de Lisboa e gostava de te conhecer melhor. O meu msn é o joao.pedro.lx@hotmail.com Adiciona-me! Beijo doce onde e como mais o desejares... do teu amigo João

tecas disse...

Bonito poema se sensualidade feminina.
Não conheço a autora! Merece um apaluso. Bom gosto na escolha.
Parabéns. Bjito e uma flor

Laura Vazio disse...

Belo poema! :)

armalu,blogspot.com disse...

lindo poema. Para lindo blog.Abraço

Amadeu Gonçalves disse...

eis a mulher no seu melhor: entre o sagrado e o profano!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...