7.5.11

porque a Escrevente gosta de Salomão Rovedo

TEMPOS RUINS

Aliás, não pare em mim,
Não sou um bom porto,
Sou um ímã abominável
Para coisas negativas...

Sou a máscara do mal,
Canibal de criança crua,
Ajo durante o Carnaval,
Nunca pouse em mim.

Não sou bom aeroporto,
Vivo colhendo reveses,
Até mesmo os amores
São eternos detestáveis.

Só os tolos se alegram,
Fiquem longe de mim,
Almejo coisas amargas,
Execrável e infame sou.
(...)

Gosto da coisa obscura,
Procuro o caos execrável,
O ambiente mais péssimo,
Não cantem comigo, não.

Não é oásis nem deserto,
Ó vento – insuportável ente
Gélido das madrugadas,
Afasta-te deste horror.

Os amores estão latentes,
Neste canto bem velhaco,
Vivo orando imprecações,
Dores lancinantes dores ...


(Salomão Rovedo)

5 comentários:

CARLA STOPA disse...

Expressão de um ser...Beijo amigaaa...

Malu disse...

Passando para deixar um grande Dia das Mães.
Abraços

Von disse...

Antes de mais, obrigado por permitires que a minha humilde pessoa faça parte do teu enorme numero de seguidores. Depois, quero dizer-te que escreves extraordinariamente bem e que aprecio bastante a tua forma de estar e de ser no mundo da blogosfera. Posto isto, desejo-te um excelente Domingo e uma óptima semana.
Beijinhos e uma vez mais, obrigado, simpática.

Valéria Lima disse...

Adorei,seu blog é maravilhoso!!!
Parabéns.assa lá no meu blog e o siga tbem ,como eu sigo o seu.
Amei ,que trabalho lindo!
Bjo da Val
http://vallartes.blogspot.co

Teresinha Oliveira disse...

Ó Salomão, que tem nome de sábio e dá conselhos no Livro Santo. O que escondes atrás de tanto mal declarado e fingido? Uma alma boba que de outro modo não se sustenta?
O mal real não se expõe, disfarça-se de bem para agir. Ainda mais um dessa magnitude, que come criancinhas no almoço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...