28.6.11

porque a Escrevente ama


Amor é um arder, que se não sente;
É ferida, que dói, e não tem cura;
É febre, que no peito faz secura;
É mal, que as forças tira de repente.
É fogo, que consome ocultamente;
É dor, que mortifica a Criatura;
É ânsia a mais cruel, e a mais impura;
É frágoa, que devora o fogo ardente.
É um triste penar entre lamentos,
É um não acabar sempre penando;
É um andar metido em mil tormentos.
É suspiros lançar de quando, em quando;
É quem me causa eternos sentimentos:
É quem me mata, e vida me está dando.

(Abade de Jazente)


...

6 comentários:

Sятª .Indolência disse...

Hmmm! Envolvente. Levo te comigo. Bjus!

Sotnas disse...

Olá Curiosa, desejo a que tudo esteja bem contigo!
Tão luxuriantes palavras expressando todo um sentimento que nós humanos avidamente buscamos o prazer do corpo, para alcançar o sossego do espírito, belo escrito versado!
E tuas curiosidades como sempre repletas de estilo!
Agradecido por tuas sempre gentis visitas e amizade, eu desejo a você e todos ao redor intensa felicidade, abraços e até mais!

mencanta fetish disse...

posto como sempre com grande prazer e requintado
mencanta@hotmail.es

Curiosa disse...

mencanta,
grata, querido ...

Curiosa disse...

Sotnas,
abraços!

Curiosa disse...

srta. indolência, grata! vou lá te buscar, tbém ... bjim

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...