15.7.11

AMORE QUOQUE TAMEN - Salomão Rovedo


Por que não me suicidei? Para não satisfazer o bruxo.
Sigo vivo por estar atracado ao refluxo dos olhos dela.
Espero, a vida espera, o instante estagnado espera ...

Imagino o espaço, pressinto a bala, o sorriso do bruxo.
Vai aguardar, vida, até conseguir de novo os olhos dela.
(Mas o espaço, tempo que resta, suportará tanta espera?) 

Há o tempo: débito que ficou e o tempo que sobra a ela,
eqüidistantes no corpo, paralelos, calcados no imaginário,
e que se distanciam – apodrecerá meu fôlego no equador? 

Interregno que custa admitir: a minha vida hoje é ela!
(é o que afirma um outro eu, que só existe no imaginário
sem sobreviver à custa de milagres, abaixo do equador)

..

4 comentários:

soylauraO disse...

Quien se mira a los ojos de verdad, no podría suicidarse.

http://enfugayremolino.blogspot.com/

Evanir disse...

Carinhosamente venho desejar
um feliz final de semana.
beijos no coração,Evanir.

mencanta fetish disse...

Nova entrada no blog mencanta fã de Lou.
Pedidos são permitidos, rsrsrs ...
http://lobaderayban.blogspot.com/2011/07/um-fa-da-loba.html

Cria disse...

Impecáveis palavras, poeta amiga !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...