9.8.11

porque a Escrevente busca manter a sanidade

SANIDADE

quando o vento
fizer bater a janela
bradando teu nome
em uivo doloroso
eu não ouvirei

quando a tarde
escrever teu nome
no amarelo do sol
em desespero luminoso
eu não olharei

quando a dor
esmorecer a esperança
chorando teu nome
em expurgo pesaroso
eu não amarei

(Curiosa)

10 comentários:

Milla de Morpheus disse...

Menina escrevente e curiosa...
mesmo que todas as dores te toquem a alma e o coração, mesmo assim...
Não deixarás que a força poética te possua e se derrame pelos pelos e poros e esvaia-se como fumaça, nuvem de extrema beleza...
Lindo, minha querida...

Beijos cumplices

Milla de Morpheus

amadeu gonçalves disse...

e o mundo corre sempre curioso na esperança de uma alma sensual, entre o interior e o exterior, e nunca será fim do mundo. e estamos vivos! beijinhos.

Cabrito Lunático disse...

Querida,
Para ouvir melhor, aumente o volume
Para ver a luz dê um tapa
e ame desesperadamente quem te come

Linda poesia, vc fala muito para mim, te adoro.
bj gde

soylauraO disse...

La traducción se me complicó y parece que hasta el poema siente pena de alma
http://enfugayremolino.blogspot.com/

Sorry i cant fly... disse...

Será que senti uma "pontinha" de tristeza nestas palavras Escrevente?
Desculpe, mas mesmo tristes suas palavras são tocantes.
Bjlhões.
Adoro seu blog... mesmo ;)

Curiosa disse...

MIlla,
se a força poética não saísse, eu não estaria viva até agora ....
bjo, querida ... grata!

Curiosa disse...

Amadeu, querido,
estamos vivos ... a vida ... que bom alguém me lembrar isso ... beijos, amado ...

Curiosa disse...

Cabrito,
você é um doce ... eu te gosto muito ...
bjim ...

Curiosa disse...

Laura,
eu sinto pena da humanidade o tempo todo ...
bjo querida ...

Curiosa disse...

Sorry,
muita, muita tristeza ... grata, querida ... a tristeza sempre nos toca ... bjim pra vc ..

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...