29.8.11

porque vez em quando, a Escrevente se empoeticida


POETICÍDIO

jogou o Verso
no precipício

espatifou-se
o Poema
ao chão

e a Poeta
- no mesmo instante
estrebuchou
disletrada


(Curiosa)

...


13 comentários:

Cherry disse...

curiosa, eu nunca te vi assim tão inspirada, mas segura a onda viu?

kirah disse...

Nossa!

Marina Fligueira disse...

Ola!!! Gracias por que darte no meu espacio. A min tamén mi gusta o teu.

Bicos desde Pontevedra, que e boa vila. Chauuuuuuuu

Sotnas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sotnas disse...

Olá Curiosa, que tudo esteja bem contigo!

Pelo poema vejo que está fazendo enorme esforço pra seguir.
Pois como diz o poema foram somente os versos que despencaram precipício abaixo, claro que disletrada ficou, porém, somente deste único poema que certamente será encontrado por alguém que necessite ler algo e fará sua reconstrução!

Sendo assim não se desespere, pois tudo tem seus motivos, ou não!

E por cá venho dizer que continue, e deixar meu desejo que você e todos ao redor sejam muitíssimo felizes, e um grande abraço e até mais!

Filipe Campos Melo disse...

Talvez cada poema seja um passo na berma do abismo

Gostei imenso

Bjo

Curiosa disse...

Filipe,
verdade ...
ao poetar sempre estaremos na beira de um abismo pessoal ..
bjo!

Curiosa disse...

Sotnas,
que lindo disseste ...
tudo de mais bom pra vc querido ...

Curiosa disse...

marina,
abrazos!

Curiosa disse...

Kirah,
humhum ...

Curiosa disse...

cherry,
grata,querida ...
tentarei ...

Darukian, O Ceifador de Orgasmos disse...

La muerte...a poeta morreu toda aberta no chão ou as letras lhe serviram de caixão?

http://oladoinversodasletras.blogspot.com/

Darukian

P.S.: Catando seu banner/ Link, se quiser fazer o mesmo, fique a vontade pra me visitar...

Curiosa disse...

grata, pela visita, Ceifador ... estou indo lá conhecer seu espaço ... bjo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...