26.12.11

a Escrevente recebe críticas sobre uma postagem do seu blog

recebi críticas sobre minha postagem que fala das relações virtuais ...
(leia a postagem aqui)
e refleti a respeito do assunto, obviamente ...
então deixo mais algumas linhas sobre o tema, sempre considerando
que este tipo de análise não se esgota nessas poucas linhas ...
..
na blogosfera para adultos, disseram-me, as pessoas revelam primeiro
o corpo e não as palavras, contrário do que eu disse em meu texto ...
o que eu penso disso, perguntaram-me ...

bem ... antes de revelar o corpo, a pessoa pensa em como e porquê fazê-lo,
disto tenho certeza ... logo, há uma reflexão prévia à exibição ...
e a exibição, geralmente, vem acompanhada das palavras, do porquê ...
na maioria dos espaços virtuais de pessoas que revelam
suas experiências sexuais (mostrando o corpo) há uma justificativa filosófica
de vida para tal, centralmente exposta, onde os parceiros sexuais refletem sobre
sua prática afetivo-sexual e a necessidade de se libertar de valores
que oprimem e impedem relacionamentos saudáveis ...

...

disseram-me que 'mostrar o melhor de nós' ao outro significa,
quase sempre, mentir ou omitir ... não sei ...
há muita simulação nas relações virtuais, sim ...
mas vejo isso como um aspecto, até certo ponto, saudável ...

como eu disse na postagem citada,

'nós escolhemos o que apresentar ao outro
em nossos perfis, e revelamos o nosso melhor ...
ou nosso pior, como nos espaços virtuais que cultuam preconceito,
homofobia e assim por diante ...'

mas lembremos que só conseguimos simular aquilo que conhecemos,
ou seja, um aspecto de nós mesmos ...

e se nos mostramos virtualmente melhor do que somos na vida 'real',
é porque podemos ser melhores na vida 'real' ...
simular abre brechas de possibilidades em nosso imaginário,
criando caminhos para a transformação do que seja considerado 'real' no sujeito ...

...

bem ... a tecnologia está aí, estamos já nos relacionando de forma diferente,
através da sua mediação ... não podemos fugir de considerar este um
aspecto importante no futuro da humanidade ...
as reflexões estão abertas ... quem se candidata?


20.12.11

porque a Escrevente se encoleriza

UM EPIGRAMA PARA DUAS LÁPIDES ABANDONADAS

ela queria antes de tudo sexo
quando seus homens escolhia
simples e carnal sexo
nada de mais abstrato lhe apetecia

e sob mal interpretado querer
a trama de uma vida se desenrola
duas vezes viúva a senhora
ainda sem gozar sua cona

(Curiosa)

..

10.12.11

porque a Escrevente reflete sobre relacionamentos virtuais


as amizades virtuais têm me feito agradáveis surpresas ... sou, desde sempre, uma aficionada pela comunicação e pela capacidade de compartilhamento que o navegar nos proporciona. as tecnologias da informação e comunicação nos ensinaram novas formas de nos conhecermos, revelando-nos novos espaços e tempos onde transitar afim de paquerar, encontrar amigos, pessoas que pensem afim, etc ...

hoje é corriqueiro adicionarmos desconhecidos(as) em nossas redes sociais; assim fazemos porque encontramos algum ponto em comum em seu perfil, seja uma imagem, seja uma citação, seja o lugar de origem da pessoa ... são infinitos os motivos pelos quais podemos nos aproximar virtualmente de alguém ... exatamente como nas relações ditas presenciais, que ocorrem de forma única, singular, como há que ser entre dois seres (únicos!) -  independente do dispositivo mediador.

4.12.11

porque a Escrevente cai na fenda - como Alice no País das Maravilhas*

CAINDO NA FENDA

acalento cada novo escrito que me nasce
como um filho renascido do pós-morte

alimento
cultivo
fomento

e de repente
por uma fenda na linha onde escrevo

consigo ver
o pátio da casa da infância
(a árvore ainda no jardim)

ouço nítida
a canção da brincadeira de roda na rua
(a voz materna chamando para dentro)

o cheiro de pão fresco no olho da mãe

..

de repente
por uma fenda na linha do tempo onde escrevo
consigo escre(ver) a Vida

(Curiosa)

..

*
porque a Escrevente, vez em quando, precisa sair da realidade.
e o que temos hoje de recursos para isso?
álcool, drogas infinitas ...?
pois! esses já não me fazem ver a fenda ...

escrever é o único vício que me tem feito cair na fenda ...

ultimamente, tenho enchido caderninhos de poemetos,
ao ponto de reescrever uma dezena de vezes
cada escrito para considerá-lo acabado ...

depois de cheio o caderno, tiro as folhas e as jogo ao vento ...
ou as largo nos banheiros do meu trabalho,
ou na sala de espera de um consultório médico,
a fim de que sejam lidas .... objetivo último de qualquer poema ...

e assim consigo sobreviver a mim ...

2.12.11

porque delirar é o mais científico que a Escrevente pode ser

DIVERSIDADE EXISTENCIAL

creio em várias realidades

múltiplos caminhos
criados
por nossa
intenção e vontade

(conscientes ou inconscientes)

o átomo toma forma real
segundo cada possibilidade
formando nova totalidade
sob a superfície sem costura
onde nos movimentamos

nesses mesmos
espaços-tempos
constituídos

vivemos

não uma encarnação de cada vez
mas todas
ao mesmo tempo
infinitamente conectadas

(Curiosa)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...