17.5.12

porque a Escrevente se sente só



9 comentários:

Omar Talih disse...

É a única coisa que consigo ver, após a leitura.



The Sound Of Silence
Hello darkness, my old friend
I've come to talk with you again
Because a vision softly creeping
Left its seeds while I was sleeping
And the vision that was planted in my brain
Still remains within the sound of silence

In restless dreams I walked alone
Narrow streets of cobblestone
'Neath the halo of a street lamp
I turned my collar to the cold and damp

When my eyes were stabbed
By the flash of a neon light
That split the night
And touched the sound of silence

And in the naked light I saw
Ten thousand people, maybe more
People talking without speaking
People hearing without listening

People writing songs
That voices never share
And no one dare
Disturb the sound of silence

"Fools" said I, "you do not know
Silence like a cancer grows
Hear my words that I might teach you
Take my arms that I might reach to you"
But my words like silent raindrops fell
And echoed in the wells of silence

And the people bowed and prayed
To the neon God they made
And the sign flashed out it's warning
And the words that it was forming

And the sign said
"The words of the prophets
Are written on the subway walls
And tenement halls"
And whispered in the sound of silence

O Som do Silêncio
Olá escuridão, minha velha amiga
Vim conversar com você de novo
Porque uma visão um pouco arrepiante
Deixou sementes enquanto eu dormia
E a visão que foi plantada em meu cérebro
Ainda permanece dentro do som do silêncio

Em sonhos agitados eu caminho só
Em ruas estreitas de paralelepípedos
Sob a luz das lampadas da rua
Levantei minha lapela para me proteger do frio e umidade

Quando meus olhos foram apunhalados
Pelo brilho de uma luz de néon
Que rachou a noite
E tocou o som do silêncio

E na luz nua eu vi
Dez mil pessoas, talvez mais
Pessoas conversando sem falar
Pessoas ouvindo sem escutar

Pessoas escrevendo canções
Que vozes jamais compartilharam
E ninguém ousava
Perturbar o som do silêncio

"Tolos" eu disse, vocês não sabem
Silêncio é como um câncer que cresce
Ouçam as palavras que eu possa lhes ensinar
Tomem os braços que eu possa lhes estender"
Mas minhas palavras caíam como gotas silenciosas de chuva
E ecoavam no poço do silêncio

E as pessoas curvavam-se e rezavam
Ao Deus de néon que elas criaram
E o sinal faiscou o seu aviso
Nas palavras que estava formando

E o sinal dizia,
"As palavras dos profetas
Estão escritas nas paredes do metrô
E nos corredores das casas"
E sussurravam no som do silêncio

AquilesMarchel disse...

ppis é somos dois


ms pessoas como vc passam tempo sozinhas pois se impacientam facil com as pessoas

silvioafonso disse...

.


Ver você no meu blog me
causa tanta alegria que
temo ser passado por bobo.
Eu não queria que voltasse
mais vezes; eu queria que
morasse lá.

Beijos,

Palhaço Poeta







.

Vicente Rubio disse...

En primer lugr darte las gracias de todo corazón por hacerte seguidora de mi humilde blog, me gustaría que repases los otros doa blogs míos y me dieses tu opinión.
Tengo que volver a releer este articulo tuyo que no he entendido muy bien por su profundidad.
El estar solo ayuda mucho a encontrarse uno mismo yo con y por monotonía no estaría nunca con una mujer, lo "plano" no me interesa me gustan los "dientes de sierra" osea subir y bajar con ritmo.¿me entiendes? , hablaremos despacio amiga mia. Un beso muy fuerte y feliz fin de semana.

Anônimo disse...

Acho que te entendo às mil maravilhas !

90% do que tu detestas, a mim também me chateia e MUITO !

Obrigado por seres a minha mais recente SEGUIDORA !

Não fixei o nº, mas depois to direi ( se não souberes quem sou ).

Uma beijoka.

GANIA

Maria Luisa Adães disse...

A solidão não e casualidade!...

Mas há acasos casuais que levam ao
silêncio e à solidão.

Luísa

DESIRE disse...

Eu já nem tento...espelhei-me neste teu post, tanto que, apesar de não gostar de comentar quando há verificação de palavras, estou a fazê-lo!
Beijos prometidos

Sotnas disse...

Olá prezada Curiosa, que tudo permaneça bem contigo!

Talvez a solidão neste caso não seja uma casualidade, no entanto em alguns casos ela é o verdadeiro ocaso!

Semp-re postado curiosidades que fazem este curioso ficar pensando na diversidade desta imprevisível e diferenciada raça, que somos nós humanos!

Parabéns pelos pensamentos que por cá expressa, e por este teu belo canto de pensamentos escritos!

E deveras grato por tuas visitas e gentis comentários eu deixo meu desejo que você e todos, inclusive a sua opcional solidão, um viver deveras intenso de felicidade, abraços e até mais!

Anônimo disse...

Desculpa a minha intromissão...este teu texto é super contraditório. Bonito, calmo e reflectido,todavia!
Muito do "mais vale só que mal acompanhado". Ou o contrário?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...