19.7.12

porque a Escrevente expõe seus melodramas nas palavras de outros


Estou sozinha se penso que tu existes. (...)
E igualmente sozinha se tu não existes.   
De que me adiantam  
Poemas ou narrativas buscando  

Aquilo, que se não é, não existe  
Ou se existe, então se esconde  
Em sumidouros e cimos, nomenclaturas  

Naquelas não evidências  
Da matemática pura? É preciso conhecer  
Com precisão para amar? Não te conheço.  

Só sei que desmereço se não sangro.
Só sei que fico afastada
De uns fios de conhecimento, se não tento.

Hilda Hilst

..

5 comentários:

Natasha Paixão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Natasha Paixão disse...

Amei seu canto... Lindo!

Visita o meu...
http://natyeeumavidadepaixao.blogspot.com.br/

Bjinhos mil!

Natye*

O Guri disse...

Eu acho que você está se acovardando... espera mais um pouco, logo vai saber o que fazer!

Paciência, mulher!

Curiosa disse...

guri, guri ... tão novo e uma alma tão sábia .... estou esperando ... mas enquanto isso, eu me revolto ... rsrsrs ... e não ria (muito!) desta pobre mortal, afinal somos todos ridículos mesmo ... ou vc não é? rsrsrs .. beijo, querido ...

Curiosa disse...

Natascha ...
agradecida ... estou indo lá te ver ...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...