3.9.13

porque a Escrevente se sente avelhentada






















AVELHENTADA

a garotinha perdida
já velhinha - encontrou-se:

esteve presa em fotografias antigas
de momentos esquecidos da infância
quando seus olhos ainda sabiam ver
a magia do tempo à sua frente

eram tantas as possibilidades de existência
(da sua existência!)
que o mundo se reencaixava
a cada novo pensamento seu
recriando-se
quadro a quadro
como a reprodução de um filme em câmera lenta:
o filme de sua vida
(de suas possíveis vidas)

um filme - que hoje sabe
fixo em uma cena só
descorado pelo tempo
terá o final de todos os filmes
- virar pó

(Curiosa da Vida)

3 comentários:

Sotnas disse...

Olá Curiosa, e que tudo esteja bem!

Não se desespere, pois apenas teve a confirmação de que alguns de seus sonhos se realizaram. Sendo assim, continue sonhando, pois sonhar é viver, e no final verá que tudo será anexado na tua história de vida, continue sua jornada, siga vivendo!
É isso prezada Curiosa, continua sempre sendo deveras prazeroso por cá vir, ler, admirar e, me fazer pensar com tuas curiosidades tem sido deveras encantador, e assim eu agradeço por compartilhar, e pela amizade e visitas!
E eu deixo cá meu desejo para que seja sempre deveras intenso e feliz o teu viver, um grande abraço e, até mais!

PAULO TAMBURRO. disse...

CURIOSA,

lido muito mal com morte e pretendo rechaçá-la até o meu último suspiro e que, tenho a certeza só ocorrerá quando ela estiver se esquecido de mim, e para isso torço diariamente.

Uma vez me disseram que, nós ao pensarmos sobre o dia que iremos começar a virar pó,pensamos na morte com a mentalidade dos vivos.

Ou seja, nos vemos naquele apertado caixão desconfortável, e a sala fúnebre cercada de coroas com aqueles dizeres protocolares e a maioria eivado de cinismo e hipocrisia.

Detesto a cor roxa e debochada das faixas de bordas douradas e expostas nos atos necrológicos.

Repare que nem citei o zumbido da presença das abelhas ávidas pelo néctar da fores, e suas danças inconvenientes no entorno delas.

Fui a alguns desses chamados "ultimo adeus" e realmente, a visão que temos da morte evidentemente, não a veremos, quando formos nós mesmos, os protagonistas principais do evento.

E acho que a vida deveria ser muito mais generosa comigo, e só deixar-me depois de combinarmos em encontro previamente marcado, a data , hora e local desejáveis para inconveniente desenlace.

Garanto a você que, a este encontro, eu jamais compareceria.

Mas, e apesar dos pesares, gostei imensamente desta sua postagem e por mais contraditória que, isto possa lhe parecer.

Um abração carioca e mais vivo do que nunca, agradeço sua generosidade para com os meus bloques.



Louraini Christmann - Lola disse...

Bom!!
Assim é que eu gosto!

Voltarei sempre aqui.
abração.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...